Exemplos de inovação no Ceará 12/02/2015

Exemplos de inovação no Ceará

Sistema de governança, desenvolvido no Instituto Atlântico, pretende auxiliar gestores no tratamento de pacientes. Na UFC, equipe trabalha em projeto para a telefonia móvel 5G.

Inovação requer persistência. No Ceará, há gente que aliou esse ingrediente a boas ideias. É o caso da equipe responsável por um sistema para profissionais e gestores da saúde, conhecido como “Governança Inteligente de Sistemas de Saúde”.

Desenvolvido pelo Instituto Atlântico, em Tauá, com financiamento não-reembolsável da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), o valor do projeto é de R$ 8,01 milhões. A previsão é de que seja concluído nos próximos dois anos. “O mecanismo vai buscar dados em diversos bancos e sistemas da saúde e através do próprio paciente e transformar esses dados em informações”, ressaltou o gerente comercial do Instituto Atlântico, Francisco Siqueira.


O sistema poderá coletar informações para gestores e secretários. “Vai ajudar o gestor de saúde, um secretário a tomar uma decisão em um nível sistêmico. Pode detectar uma sinalização de uma endemia ou epidemia cruzando dados.”


Ele explicou que os pacientes poderão receber informações por SMS de que é necessário tomar alguma medicação. Médicos e enfermeiros também poderão tomar decisões de tratamento dos pacientes.


O projeto vai desenvolver um modelo de gerenciamento de dados nas unidades de saúde. Fornecerá inteligência de governança na tomada de decisões relacionada aos domínios do Sistema, otimizando a rede ligada ao sistema de saúde municipal.


O Instituto também está desenvolvendo o raio-x digital odontológico em parceria com a Universidade de São Paulo (USP). A tecnologia, que já existe na Alemanha e nos Estados Unidos, é pioneira no País. Foram investidos R$ 5,5 milhões para pesquisa e desenvolvimento com recursos não-reembolsáveis do Fundo Tecnológico do BNDES (Funtec) e com contrapartida da empresa Gnatus.


TELEFONIA

Na Universidade Federal do Ceará (UFC), também há exemplos de inovação. A instituição teve uma pesquisa incluída no projeto internacional Metis 2020, destinado ao desenvolvimento de mecanismos para telefonia móvel 5G.


O trabalho feito na Universidade apresenta uma tecnologia conhecida como D2D (Device-to-Device) para comunicações diretas entre dispositivos móveis. O mecanismo permite que o usuário fale, envie fotos e mensagens a outro smartphone sem que o tráfego de dados tenha de ser roteado por uma torre de transmissão.


Em vez de rotear os dados através da torre, existirá somente um mecanismo de controle de tráfego. A tecnologia visa aumentar a eficiência e capacidade das futuras redes de comunicação”, afirma o professor Tarcísio Maciel professor do Grupo de Pesquisa em Telecomunicações sem Fio (GTEL) da UFC. Segundo Maciel, as comunicações D2D podem interessar às empresas de Telecomunicações, já que as próximas gerações de dispositivos móveis deverão incorporar o recurso.

(Fonte.: Opovo)

siga nas redes sociais
 
VOLTAR
 
GTEL UFC © 2014. Todos os direitos reservados.